ENTRELAÇAMENTOS ANCESTRAIS

                     “Revelando a beleza escondida do mundo, a poesia alarga

o círculo da imaginação, alimentando o pensamento.”

(João de Jesus Paes Loureiro)

         É da relação direta com os elementos que povoam o imaginário marajoara que as esculturas produzidas pelo artista contemporâneo Ronaldo Guedes extraem as suas forças e constituem-se como formas poéticas. Suas Aguagaras e Caruás nascem das lamas férteis dos mangues de Marajó e se transmutam em arte.

         Em sua nova fase de vida e criação as formas modeladas em argila fazem referências diretas aos elementos que constituem os ambientes praieiros e se convertem uma a uma em personagens que brotam das raízes aéreas, das espumas do mar ou das lagunas costeiras onde abundam espécies marinhas das mais variadas.

          Os símbolos que Ronaldo aprendeu a produzir vinculam-se aos 8.000 anos de produção cerâmica na Amazônia. Suas cores, grafismos e incisões provêm de um rico e longevo aparato técnico que se constituiu a partir das grandes tradições da história indígena amazônica. Dai não ser apenas um simples jogo de palavras afirmar que suas obras nascem de Entrelaçamentos Ancestrais.

 

Ednaldo Britto

Pesquisador, artista e professor

Exposição:

ARTE MANGUE MARAJÓ Entrelaços Ancestrais

Produção Executiva: Cilene Andrade e Luciane Bessa | Fotografias: Pierre Azevedo

Montagem da Exposição: Beatriz Maia e Luciane Bessa | Trilha da Exposição: Caio Andrade e Ronaldo Guedes

Projeto Gráfico Cartaz: Rebeca Pimentel | Projeto Editorial Cartilha: Beatriz Maia

Cartilha Educativa: Marcelle Rolim e Cilene Andrade | Web Designer: Beatriz Maia


EXPOSIÇÃO CONTEMPLADA PELO PRÊMIO PREAMAR DE CULTURA E ARTE 2020

Realização: Ateliê Arte Mangue Marajó | Apoio: Programa Coroatá - UFPA/Campus Soure

Patrocínio: PREAMAR/SECULT/GOVERNO-PA

 

Entrelaços Ancestrais

Click na imagem para vê-la amplificada.